Acessibilidade

Dezembro Vermelho: FEI realiza teste rápido de HIV, sífilis e hepatite B e C para indígenas em ação social

Atividade acontecerá na sede da Fundação, das 8h ao meio-dia desta sexta-feira (03/12)

blood drop for blood testing.Nurses collect blood from blood donor for blood donation

O Governo do Amazonas, por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI), irá realizar teste rápido de HIV, sífilis e hepatite B e C, em ação social voltada aos povos indígenas, em alusão à campanha Dezembro Vermelho. Os exames serão feitos nesta sexta-feira (03/12), das 8h ao meio-dia na sede da Instituição, localizada na avenida Torquato Tapajós, s/nº, bairro Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus.

Segundo o diretor-presidente, Edivaldo Munduruku, a prevenção a essas doenças e discussão sobre o tema são essenciais para os indígenas, pois muitos não têm a orientação necessária para realizar o teste ou se informar sobre o assunto.

“A saúde é extremamente importante para o ser humano. A ação social irá disponibilizar testes de HIV e outros, justamente para prevenir e instruir os parentes sobre essas doenças. Estamos em um mês em que o conceito da campanha deve ser discutido e levado a sério para que se tenha a diminuição de casos de infecções entre a sociedade”, disse.

Para a realização dos testes, os interessados devem estar portando CPF ou cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Serão disponibilizados 70 testes de cada infecção sexualmente transmissível (IST), cujos resultados serão emitidos de imediato.

Ação – A atividade irá acontecer das 8h ao meio-dia e terá em seu quadro de serviços atendimentos voltados para a saúde bucal, aferição de pressão, teste de glicemia, atendimento para serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que oferecerá atendimentos para os segmentos de salário-maternidade, auxílio reclusão, aposentadoria e benefícios de prestação continuada previstos na Lei Orgânica da Assistência Social (BPC-Loas).


Dezembro Vermelho – O período da campanha foi escolhido pela  Organização das Nações Unidas (ONU), em outubro de 1987, para ações de conscientização da sociedade a respeito do combate às ISTs e também para esclarecer dúvidas a respeito delas.

A iniciativa surgiu como forma de solidariedade, compaixão e compreensão pelas pessoas infectadas pelo HIV, sendo também um símbolo de alerta e prevenção. No Brasil a data passou a vigorar a partir de 1988, por meio da assinatura do Ministério da Saúde, passando a ser comemorada todos os anos.

FOTO: Divulgação/FEI