Acessibilidade

Em 2021, FEI distribuiu mais de 119 toneladas de alimentos em comunidades e aldeias indígenas

Em 11 meses, órgão já atendeu mais de 1.234 famílias que buscaram os serviços de INSS e psicoterapia

O Governo do Amazonas, por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI), distribuiu mais de 119 toneladas de cestas básicas em comunidades e aldeias indígenas do Amazonas em 2021. Além disso, prestou assistência social com serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e atendimentos psicoterapêuticos para mais de 1.234 famílias.

Para o diretor-presidente da FEI, Zenilton Mura, os serviços e as entregas de alimentos foram essenciais para o progresso dos povos indígenas.

“A FEI vem cumprindo o seu papel de servir os parentes de maneira fundamental para o progresso e o sustento de suas etnias. Há quase 2 anos estamos enfrentando a pandemia de Covid-19 que desacelerou muitos dos serviços que nós oferecemos, entretanto, não paramos de buscar as melhores maneiras de atender à necessidade deles”, disse.

Somente no período de 11 meses, de janeiro a novembro, a FEI já atendeu mais de 1.234 famílias que buscaram os serviços de INSS e psicoterapia. Além do atendimento presencial, os serviços continuam ativos via WhatsApp, que facilita o acesso de indígenas que se encontram em comunidades afastadas de Manaus, mas que continuam recebendo a assistência e orientação necessárias.

Segundo a assistente social da Fundação, Ana Paula Nunes, os atendimentos são bastante procurados, pois muitos deles não tinham conhecimento dos direitos que têm.

“Recebemos muitas pessoas que buscam por conhecimento daquilo que ouviram falar, mas que não tinham certeza. Dessa maneira nós ajudamos e orientamos da melhor maneira possível a realizar um serviço eficiente e com o atendimento via WhatsApp, também podemos ajudar a solucionar os problemas de maneira eficaz”, comentou.

Ajuda Humanitária – Por meio do programa Ajuda Humanitária, a FEI distribuiu mais de 119 toneladas de alimentos, dentre eles pescado, carnes, frutas e farinha. A Fundação contou com a parceria de outros órgãos para que fosse feita a distribuição destes alimentos de janeiro a novembro de 2021.

As distribuições de cestas básicas durante o ano ocorrem com o intuito de amenizar os impactos causados pela pandemia nas comunidades, associações, aldeias situadas no interior e capital amazonense. A elevação das bacias dos rios Negro, Japurá e Solimões, em período de cheia, ocasionou a suspensão da produção agrícola familiar voltada aos indígenas. Após a vazante dos rios, comunidades que trabalham com pescado e transporte fluvial para a capital, sofreram com o aumento dos valores dos produtos alimentícios.

Também como maneira de combater a proliferação da Covid-19, ao longo do ano a FEI prestou apoio na distribuição de kits para higiene pessoal, como álcool em gel e máscaras de proteção facial.

FOTOS: Amaury Moraes